Passagem para a escuridão

O príncipe Lúcio Dante revirava-se na cama. Estava deitado no colchão de plumas, embaixo de lençóis frescos de seda. Ainda assim o suor encharcava suas roupas. Acordou de chofre e reconheceu de imediato o seu quarto no Palácio Real da Tibéria. Aos poucos, o menino foi acalmandoo coração acelerado e a respiração ofegante. Quando se mexeu sentiu as dores dos hematomas pelo corpo magricela. Só então reparou na atadura ao redor da cabeça, amassando os cabelos negros como penas de corvo. Ao menos estava de volta à segurança do

08/03/19